Resumo do livro Dom Casmurro

Resumo do livro Dom Casmurro

Leia a seguir o resumo do livro Dom Casmurro, um dos maiores clássicos da literatura brasileira.

Publicado no fim do século 19, em 1899, Dom Casmurro foi escrito por Machado de Assis. Narra em primeira pessoa a história de Bentinho, apelidado de Dom Casmurro.

Portanto, narrado em primeira pessoa, a obra inicia-se com Bento, quase aos 60 anos, contando sobre a sua história de vida. Os eventos começam a partir da sua juventude no Rio de Janeiro até sua velhice. E, logo de início, ele explica por que do apelido Dom Casmurro.

Acontece que esse apelido lhe foi dando quando durante uma leitura de poesia. Bento, ainda criança, acabou adormecendo, o que deixou o autor indignado com o desinteresse de Bento por seu trabalho. Por essa razão, o apelidou de Dom Casmurro.

Resumo do livro Dom Casmurro de Machado de Assis

Quando criança, Bento Santiago ou Bentinho como o chamavam carinhosamente, vivia com sua mãe Dona Glória, a prima Justina, seu tio Cosme e um agregado de nome José Dias. Um dia ouviu uma conversa de sua mãe com José Dias, no qual ela dizia que precisava cumprir a promessa que havia feito quando ele nasceu, que incluía enviá-lo para um seminário, para se tornar-se padre. Tal promessa veio após a morte de seu primeiro filho e prometeu que se o segundo filho fosse homem, ele seguiria os passos religiosos.

Ele é amigo e vizinho de Capitu desde a infância e também é apaixonado pela moça, o que o deixa desesperado por saber que precisará se afastar dela, já que seu desejo era casar-se com Capitu.

Chega então o momento de Bentinho ir para o seminário, o que deixa sua mãe triste. Lá, ele conhece Escobar e se tornam melhores amigos. Durante algumas visitas à sua mãe, Bentinho também se encontrava com Capitu, agora na adolescência ambos percebem que entre eles há algo a mais do que uma simples amizade. Sua mãe, Dona Glória, parecia aprovar a moça, fazendo com que Bento ficasse mais animado e decidido sobre casar-se com Capitu.

Os dois amigos então, Bento e Escobar, conseguem sair do seminário. Bento argumenta que não tem vocação para ser padre e que sua mãe iria tirar um menino da rua e encaminhá-lo para o seminário em seu lugar. Dessa forma, fora do seminário, Bento se forma como advogado e realiza o sonho de casar-se com Capitu. Já Escobar se casa com Sancha, melhor amiga de Capitu.

Ciúmes e desconfiança

Bento e Capitu têm um filho, que o chamam de Ezequiel, em homenagem à Escobar, que se chamava Ezequiel Escobar. Um dia, Escobar acaba morrendo afogado e é a partir desse ponto que Bento começa a ter certas desconfianças. Durante o velório do amigo, Capitu consolando a amiga Sancha, agora viúva, fica um tanto quanto abalada pela morte de Escobar e isso acaba deixando Bento pensativo.

Após esse ocorrido, Bento começa a observar seu filho Ezequiel e vê que o menino está cada vez mais parecido com Escobar, o que lhe faz acreditar que Capitu o traía com o seu grande amigo.

Bento passa a brigar com todos ao seu redor, inclusive Capitu que vai para a Europa com o filho. Anos depois, Capitu morre. Ezequiel, que vinha visitar o pai no Brasil, mas era menosprezado por acreditar que Ezequiel era filho de Escobar, também vem a falecer.

Bentinho se torna um homem desconfiado e sozinho, sem ter ninguém por perto, já que todos aqueles com quem cresceu e viveu, haviam já falecido.

No entanto, nunca se comprovou a traição de Capitu, já que Bento jamais teve provas contra o adultério da esposa, apenas acreditava em tal coisa por sua ilusão de que seu filho se parecia com o falecido Escobar.

Dom Casmurro
Créditos: GZH

Resumo do livro Dom Casmurro: Romance realista

O romance realista surgiu no Brasil graças a Machado de Assis. Trata-se de um gênero do romance no qual os personagens se descrevem com imperfeição. Em outras palavras, é o oposto do romantismo, mostrando como são realmente as pessoas.

Iniciado na Europa no século 19, precisamente na França com o livro “Madame Bovary” de Gustave Flaubert, o realismo retrata aquilo que acontece na humanidade. Como, por exemplo, a falsidade, a traição, o egoísmo, o descaso, etc. Portanto, são nesses romances realistas que se encontram características como críticas à elite, as derrotas do ser humano e suas falhas.

Dessa forma, se opõe contra ideias do romantismo. Já que ele oculta as realidades da vida, pelo fato de que no movimento romântico surge uma ideia sonhadora de buscar um herói, algo que não existe, criado para fugir do mundo. Foi então que o realismo surgiu para quebrar um pouco isso e mostrar a vida como ela é. Sendo assim, foi nessa época que aconteceram diversas mudanças pelo mundo. Portanto, acabou ocasionando aos autores uma visão diferente e mais crítica para com a realidade em que viviam.

Alguns dos autores desse gênero ao redor do mundo são os escritores russos Liev Tolstói com “Guerra e Paz” (1867) e “Anna Karenina” (1877) e Dostoiévski com “Os Irmãos Karamázov” (1880). Além desses, temos o escritor português Eça de Queiroz com “Os Maias” (1888) e o escritor inglês Charles Dickens com “Oliver Twist” (1838), entre outros.

No Brasil, o romance realista ficou por conta de Machado de Assis, que publicou “Memórias Póstumas de Brás Cubas” em 1881, dando início ao movimento no país. Além dele, outros autores que se destacam com romances realistas são Aluísio de Azevedo, autor de “O Mulato” (1881) e “O Cortiço” (1890), Raul Pompeia com a obra “O Ateneu” (1888).

biografia de machado de assis

Machado de Assis

Machado de Assis, ou como alguns o chamam “Machadinho”, foi e é um dos maiores escritores da literatura brasileira. Além disso, com certeza está na lista dos maiores escritores do mundo. Nascido no Rio de Janeiro em 1839, Machado de Assis estudou em escola pública. Desde criança sentia um apreço pela leitura e escrita. Aprendeu alguns idiomas como o latim e francês. Escritor, jornalista, romancista, poeta, Machado publicou trechos de uma poesia chamada “Ela” em 1855 em um jornal chamado “Marmota Fluminense”. A partir desse ponto, Machado de Assis não parou de escrever.

Nesse meio tempo, publicou diversos romances, coletâneas de poesias e contos e peças de teatro no decorrer da vida. Se tornando um dos escritores mais aclamados e importantes da literatura brasileira independente de sua época.
Sua primeira coletânea de poesias foi “Crisálidas” (1864) reunindo diversas poesias do autor onde contém “Versos a Corina”, uma de suas poesias mais famosas. Além de “A Cartomante” que é um conto publicado em 1884.

Além disso, Machado também é famoso por romances da fase romantismo como “Ressureição” (1872) e “Helena” (1876). No entanto, foi com romances realistas como “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Quincas Borba” e “Dom Casmurro” que traz para Machado de Assis uma imensa visibilidade.

Em 1896, junto com outros escritores, fundaram a Academia Brasileira de Letras, onde também se chama “Casa de Machado de Assis”,. Ele é o fundador da cadeira n° 23 e tornou-se o primeiro presidente da Academia em 1897, ocupou o cargo durante 10 anos, até sua morte.

O autor sofria de epilepsia e após a morta da esposa, Carolina, Machado entrou em depressão e ficou cada dia mais recluso.

Machado de Assis faleceu em 1908, no Rio de Janeiro.

 

Deixe um comentário sobre o nosso resumo do livro Dom Casmurro.

Vitoria Azevedo

Vitoria Azevedo

Sou formada em Letras-Espanhol e minha paixão pela leitura vem desde criança. Meus livros favoritos são de fantasia, romance de época e ficção científica. Siga meu instagram literário: @desveloliterario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *