Quem escreveu Frankestein? Conheça mais sobre essa biografia

Quem escreveu Frankestein? Conheça mais sobre essa biografia

Se você tem dúvidas sobre quem escreveu Frankestein, essa obra pioneira da ficção científica, neste artigo iremos esclarecer essa informação.

A grande autora por trás desse livro que revolucionou o mundo da literatura, porque sim, se trata de uma mulher, é a inglesa Mary Shelley. Conheça um pouco sobre a escritora a seguir e saiba também o que serviu de inspiração para a escrita dessa obra que se tornou um clássico da literatura e ganha novas adaptações de tempos em tempos.

Quem escreveu Frankestein: Saiba de onde veio a ideia do livro

Mais ou menos 200 anos atrás, cinco pessoas se reuniram em uma mansão perto do Lago Leman, em Genebra, Suíça. Naquela época, dois deles já eram muito famosos: o poeta Lord Byron e Percy Bysshe Shelley.

Goethe o descreveu como o maior gênio do século XIX e se tornou o protótipo do poeta do romantismo – sem falar no escândalo íntimo que o obrigou ao exílio. Shelley é famoso por suas contribuições notáveis para a comunidade intelectual europeia.

O médico de Byron, John Polidori (mas ele também trouxe outras drogas secretamente) acompanhou a moça Claire Clairmont, filha de um casal notável. A intelectual britânica e sua irmã adotiva Mary Wollstonecraft Godwin eram então companheiras de Percy Shelley, e as pessoas queriam que esta temporada fosse cheia de energia, incluindo passeios, caça e outras diversões ao ar livre.

No entanto, em 1816, devido a eventos climáticos severos, as gerações futuras chamaram de “um ano sem verão”. O grupo foi forçado a passar semanas que pareciam não terminarem nunca na mansão, se escondendo no céu carrancudo, frio indesejado e chuva contínua. Para eliminar o tédio, Byron então sugeriu que todos lessem “Algumas histórias de fantasmas, com tradução do alemão para o francês”. Ler os deixou felizes por um tempo, mas a história rapidamente se esgotou.

Dessa forma, alguém deu uma nova sugestão: cada um escreva sua própria história de terror. Então, todos escolherão o mais forte.

Frankestein

O despertar do “terror assustador”

Os convidados ficaram trabalhando. Lord Byron retrata um fragmento de um viajante que testemunhou uma morte na Grécia. Depois de retornar à Inglaterra, ele descobriu que o réu estava seguro e morto e propôs a sua irmã se casar com ele.

Percy Shelley escreveu um relatório baseado em sua experiência de infância. John Polidori esboçou a narrativa de uma mulher amaldiçoada com uma cara de caveira porque ela usava uma fechadura para monitorar o que não deveria.

Mary Wollstonecraft Godwin caiu em uma terrível imagem depois de passar uma noite sem dormir, ela escreveu seu próprio conto. Ela disse: “Esta história pode contar o medo misterioso de nossa natureza e causar um terror terrível.” A história de Wollstonecraft Godwin foi classificado como a melhor dos quatro. 2 anos depois, em 1818, foi publicado “Frankenstein” ou “Prometheus Modern“.

Mary Shelley (que era esposa de Percy) assinou contrato há muito tempo, e agora sua reputação ultrapassou os companheiros notáveis da época, não é de admirar: 200 anos após sua publicação em 2018, “Frankenstein” ainda é a maior das obras literárias e é bem famoso.

Caso você não tenha conseguido imaginar como foi essa noite das histórias de terror, a série britânica de ficção científica Doctor Who transmitiu um episódio que teve como inspiração essa noite. Se você deseja assistir é o episódio de nome The Haunting of Villa Diodati, sendo o oitavo da décima segunda temporada, contando com a atriz Lilli Miller interpretando nossa querida Mary Shelley.

Mary Shelley

Mary Shelley: Conheça a autora

Mary Shelley nasceu em 30 de agosto de 1797 em Somerstown, Londres. No momento em que ela iniciou a escrita do livro “Frankenstein”, um marco da literatura de terror e da ficção científica, ela possuía somente dezenove anos.
Shelley era filha de Mary Wollstonecraft, que escreveu primeira monografia feminista da história – Women’s Rights Claims (1792) – e do filósofo William Godwin.

Mesmo tendo sofrido profunda influência pelo trabalho de sua mãe, Mary Shelley não morou com ela, que morreu 11 dias após seu nascimento. Passados alguns anos, seu pai se casou com uma vizinha e Mary nunca se deu bem com ela.

Mary estudou filosofia e ciência e defendeu o amor livre 150 anos antes de Woodstock. Além de Frankenstein, ela também escreveu romances como Mathilda (1820), O Último Homem (1826) e Lodore (1835), e editou parte das obras de seu esposo.

Em 1º de fevereiro de 1851, Shelley morreu em Chester Square, Londres. A causa foi um tumor cerebral. No entanto, até hoje sua obra vive e lembramos da autora por ter dado início ao gênero da ficção científica. Além disso, vive surgindo adaptações de seu livro mais famoso que deixou uma marca na História. Por isso muitas pessoas possuem dúvidas de quem escreveu Frankestein, até porque seu livro foi publicado anonimamente inicialmente.

Entretanto, hoje em dia o nome de Mary Shelley é lembrado e admirado por todo o seu talento para a escrita que vem de berço sendo filha de grandes escritores, portanto com ela não seria diferente.

Gostou do nosso artigo? Então, deixe um comentário e aproveite para conhecer outras escritoras feministas que revolucionaram o mundo da literatura.

 

Compre o livro capa comum: https://amzn.to/39RMIjL

Edição de luxo de bolso: https://amzn.to/39RMVn3

Capa dura Darkside: https://amzn.to/2Rl68Yd

Capa dura Excelsior: https://amzn.to/3cZbroh

Vitoria Azevedo

Vitoria Azevedo

Sou formada em Letras-Espanhol e minha paixão pela leitura vem desde criança. Meus livros favoritos são de fantasia, romance de época e ficção científica. Siga meu instagram literário: @desveloliterario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *