Adaptações de Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Adaptações de Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Trago hoje algumas adaptações de Orgulho e Preconceito, um dos meus livros favoritos, publicado em 1813, mas que continua sendo atemporal. Já assisti a várias versões dessa história e nunca me canso. Então, resolvi fazer esse artigo com uma lista de adaptações da história de amor de Lizzie e Darcy.

Mesmo que você nunca tenha lido o livro, provavelmente já ouviu falar, já que é um livro clássico da literatura britânica. Entretanto, conheço algumas pessoas que não conseguiram terminar de ler essa obra de Jane Austen, uma vez que ela possui uma escrita mais rebuscada.

Se você é uma dessas pessoas, não se preocupe, pois aqui vou mencionar algumas versões modernas que são mais fáceis de entender e, quem sabe, você não goste e tenha interesse em terminar o livro.

Adaptações de Orgulho e Preconceito: Filme de 1940

Esse filme foi uma das primeiras versões do livro de Jane Austen. É estrelado pelos atores Greer Garson como Elizabeth e Laurence Olivier como Darcy e foi bem recebido pela crítica.

No entanto, o filme possui algumas mudanças, como por exemplo, o beijo no fim dado pelos protagonistas. Além disso, também houve críticas ao vestuário, mais ao estilo dos anos 1820 e 1830 do que da época em que o romance ocorreu, no período da Regência.

Mesmo assim, o longa-metragem ganhou o Oscar de melhor direção de arte em Preto e Branco em 1941.

Série de 1995

Orgulho e Preconceito ganhou uma minissérie dividida em seis partes, que foi produzida pela BBC, tendo os atores Jennifer Ehle e Colin Firth como protagonistas.

The New York Times chamou a adaptação “um misto engenhoso de histórias de amor e convivência social, inteligentemente embalado nas ambições e ilusões do povo provinciano”.

Foi aclamada pela crítica e um sucesso popular imediato, recebendo o BAFTA Television Award para Jennifer Ehle como melhor atriz.

Além disso, a série elevou Colin Firth ao estrelato, já que ele protagoniza uma cena icônica, em uma cena em que Darcy sai do lago com a camisa molhada. Por isso, ela foi reconhecida como “um dos mais inesquecíveis momentos na história da TV britânica”. Vale muito a pena conferir, já que a minissérie é lembrada com uma das adaptações de Orgulho e Preconceito mais fieis ao livro.

Orgulho e Preconceito
Créditos: Sessão das Três

Filme de 2005

O livro clássico também ganhou uma versão em 2005, com direção de Joe Wright. Keira Knightley interpreta a protagonista Elizabeth Bennet enquanto Matthew Macfadyen interpreta o seu par romântico Sr. Darcy. Os dois voltaram a contracenar juntos no filme Anna Karenina em 2012. O longa-metragem foi indicado em quatro categorias no Oscar.

É uma das adaptações mais famosas do livro. E, apesar dele possuir algumas mudanças, como, por exemplo, o ano em que a história se passa, muitas pessoas gostaram. Eu, particularmente, gostei muito da personalidade da Lizzie nesse filme, ela é irônica e debochada.

Outras pessoas já não curtiram justamente por isso, mas temos que lembrar que uma adaptação não ser 100% fiel ao livro. Por essa razão, temos que manter nossa mente aberta. O filme atualmente está disponível no catálogo da Netflix.

Noiva e Preconceito

O filme nos leva à cidade de Amritsar, na Índia. A Sra. Bakshi luta para encontrar bons noivos para suas 4 lindas filhas. No entanto, tudo vai por água abaixo quando Lalita, a segunda mais velha, decide ela mesma escolher seu marido.

Entretanto, quando conhece o estadunidense Will Darcy, surge uma relação de amor e ódio. A garota fica furiosa com o preconceito e a falta de respeito que o homem demonstra em relação ao seu país natal. Em meio a tantos atritos, nasce uma atração irresistível.

Essa adaptação indiana é em formato de musical.

Morte em Pemberley

O ano é 1803. Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy já estão casados, tiveram dois filhos e sua felicidade na imponente propriedade rural de Pemberley parece inabalável. Mas a paz do lugar é ameaçada quando, na noite da véspera do baile anual de Pemberley, Lydia, uma das irmãs Bennet, chega à mansão gritando que o marido, George Wickham, foi assassinado na floresta.

Com este ponto de partida, P.D. James retoma o universo do clássico Orgulho e preconceito, de Jane Austen, numa trama de assassinato em que nada é o que parece.

Se o romance original trata do casamento, Morte em Pemberley, mais do que uma digna homenagem, faz justiça às melhores histórias de assassinato. O livro deu origem à uma série em 2013 com 3 episódios.

As Sombras de Longburn

Essa adaptação de Orgulho e Preconceito conta a histórias através das figuras invisíveis, ou seja, dos empregados. Sob o comando da governanta e cozinheira sra. Hill, trabalham Sarah e Polly, duas jovens trazidas de um orfanato quando ainda eram crianças para trabalhar na casa. O mordomo idoso, sr. Hill, serve à mesa e divide a administração da casa com a sra. Hill.

Os quatro formam um pequeno exército de empregados que labuta dezoito horas por dia para que a família Bennet goze do máximo conforto possível. A chegada de James Smith, um jovem lacaio recém-contratado, irá movimentar o andar de baixo da casa, revelando antigas tensões entre empregados e patrões.

Compre o livro aqui: https://amzn.to/3t5TTMl

O Diário de Mr. Darcy

Best-seller na Inglaterra e na lista do New York Times, O Diário de Mr. Darcy, de autoria da inglesa Amanda Grange, conta a história do mesmo casal de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, mas do ponto de vista do Mr. Darcy, e não de Elizabeth.

Um dos romances clássicos mais famosos do mundo que conta o drama de um cavalheiro que luta para não sucumbir ao amor. Uma imaginação hábil e graciosa do ponto de vista de um dos heróis mais amados da mais duradoura história de amor de todos os tempos.

Lizzie Bennet Diaries
Créditos: Pemberley Digital

Lizzie Bennet Diaries

Essa é uma das adaptações de Orgulho e Preconceito modernas. O formato é de websérie, que divide-se em 100 episódios de mais ou menos 5 minutos cada um, e está disponível no Youtube com legendas em português.

Sendo uma oportunidade para quem acha a escrita de Jane Austen difícil, conseguir compreender a história através dessa versão que se assemelha à nossa realidade.

A história é protagonizada por Lizzie, uma aluna do curso de Comunicação e que decide começar um vlog para um projeto da pós-graduação. Essa adaptação inclui personagens negros, asiáticos e gays, sendo mais coerente com os tempos de hoje.

Além disso, a história fez tanto sucesso que rendeu dois livros. Um na versão da Lizzie e outro na da Lydia.

Lost in Austen

Essa minissérie faz com que a protagonista faça o que toda leitora que ama Orgulho e Preconceito sonha, entrar na história! Isso mesmo, Amanda Price troca de lugar com Lizzie em uma situação bem inusitada e faz a gente perceber que na verdade não seria tão bom assim viver naquela época.

A série foi ao em 2008 e possui 4 episódios muito divertidos. Não escreverei muito para não dar spoilers, mas vale muito a pena conferir!

Novela Orgulho e Paixão

A novela da Globo conseguiu o feito de misturar 6 obras da Jane Austen em uma mesma história. Elisabeta, Jane e Lydia são inspiradas em Orgulho e Preconceito, as outras irmãs Mariana e Cecília, em Razão e Sensibilidade e A Abadia de Northanger, respectivamente.

Além disso, temos Fani Pricelli representando Mansfield Park e Susana o livro inacabado de Sanditon. Além disso, também temos a personagem Emma, como o livro homônimo de Austen. Essa adaptação, no entanto, dividiu opiniões entre os amantes da escritora britânica.

Eu assisti e gostei da maior parte da história. O que temos que fazer é assistir sabendo que os livros serviram apenas como uma inspiração e não é necessariamente uma adaptação.

Orgulho e Preconceito e Zumbis
Créditos: Veja

Orgulho e Preconceito e Zumbis

Na Inglaterra do século 19, uma praga misteriosa torna o país em um campo de guerra. Ninguém está a salvo uma vez que os mortos voltam para aterrorizar os vivos. A situação faz com que Elizabeth Bennet, mestre das artes marciais e armas, una-se ao Sr. Darcy, um cavalheiro bonito, mas arrogante. Deixando de lado as suas diferenças pessoais, eles se juntam em uma tentativa de salvar seu país.

Outra versão da nossa história amada que divide opiniões. É importante lembrar que essa adaptação não se trata de uma sátira. Em nenhum momento o autor Seth Grahame-Smith tira sarro da obra, muito pelo contrário.

Ainda conta com mais dois livros, no entanto, do autor Steve Hockensmith. O primeiro narra como foi o treinamento de Lizzie e suas irmãs com a chegada dos zumbis e o segundo se passando após o casamento do casal Darcy. Entretanto, ainda não existe a publicação deles aqui no Brasil.

O livro ainda ganhou um filme 2016 protagonizado por Lily James e Sam Riley, que traz uma pouco mais de ação à história.

Compre o livro: https://amzn.to/3e1lWbv

Austenlândia

Jane Hayes tem 33 anos e vive em Nova York. Bonita, inteligente e com um bom emprego, guarda um segredo constrangedor: é obcecada pelo Sr. Darcy. Com uma vida amorosa lamentável, ela decide aceitar seu destino: noites solitárias no sofá assistindo a Colin Firth.

Entretanto, quando ganha uma viagem para Austenlândia, um misterioso lugar onde todas as pessoas precisam se comportar como se estivessem na época da Regência britânica, Jane consegue a oportunidade de viver o romance que sempre sonhou.

Esse livro também ganhou um filme em 2013. Compre o livro aqui: https://amzn.to/3gFl8dX

O Diário de Bridget Jones

Bridget Jones é uma mulher já nos 30 anos que decide, entre as resoluções do Ano Novo escrever um diário. Sendo assim, a protagonista revela, em cada capítulo, as suas qualidades e os seus defeitos, além de expor com muito humor situações que fazem parte do cotidiano de muitas mulheres nesta mesma faixa de idade: problemas com o trabalho, a busca do homem ideal, entre outros.

Cada capítulo do livro trata de um determinado dia na vida desta anti-heroína, que sempre começa o seu relato informando seu peso e as calorias, cigarros e unidades alcoólicas que ingeriu no dia anterior.

Essa versão teve inspiração depois que a autora, Helen Fielding, assistiu à minissérie de 1995, inclusive conseguiu que Colin Firth interpretasse a sua própria versão do Sr. Darcy.

Tanto os livros como os filmes são bem divertidos e é uma boa sugestão para assistir quando quiser ver algo mais leve.

Compre o primeiro livro: https://amzn.to/3aMcvKW

Pride and Prejudice Cut

Essa última adaptação de Orgulho e Preconceito que eu trouxe para indicar é bem recente, sendo de 2019. Conta a história de uma Youtuber famosa norte-americana, Kate Miller, que é convidada para interpretar Lizzie na nova versão do livro de Jane Austen.

No entanto, por ela não ter um sotaque britânico perfeito e não ser uma atriz com mais experiência acaba sofrendo muita pressão. Lembra um pouco Lizzie Bennet Diaries e é bem gostoso de assistir.

 

Já viu ou leu algumas dessas adaptações de Orgulho e Preconceito? Deixe um comentário contando o que você achou.

 

Compre o livro: https://amzn.to/3eCVq7i

Cupom de R$ 20,00 na Amazon: https://amzn.to/3xwCShC

Assine o Kindle Unlimited, a Netflix dos livros e ganhe um mês grátishttps://amzn.to/3tyvnUS

Assine o Amazon Prime com um mês gratuito e não pague frete nas suas compras: https://amzn.to/3twk5R9

Vitoria Azevedo

Vitoria Azevedo

Sou formada em Letras-Espanhol e minha paixão pela leitura vem desde criança. Meus livros favoritos são de fantasia, romance de época e ficção científica. Siga meu instagram literário: @desveloliterario

9 comentários sobre “Adaptações de Orgulho e Preconceito – Jane Austen

  1. Eu não sou muito fã de romance de época, então nunca li nada a não ser clássicos da literatura brasileira pra escola, mas o filme de 2005 acho que já assisti e é bom.

    Ig: @vanessacolin11

  2. Eu amo Orgulho e Preconceito. Assisti a maioria das versões que você trouxe. E quero muuuuito ler a versão do Darcy, que ainda não tenho. Dessas versões citadas só não sabia dessa última de 2019, mas já vou procurar hahah

    1. Ainda não li o livro, mas assisti a versão de 2005 (Keira perfeita) e também a de zumbis, pois adoro enredos com essa temática.

      IG : @jordy.medeiros

  3. Ahhh nunca li,tenho até constrangimento em dizer isso rsrs como uma pessoa nunca leu Jane Austen? Eu também não sei srsrd

  4. Eu amo orgulho e preconceito. O livro e o filme. As demais adaptações eu não conhecia. No entanto, eu li um livro que é uma adaptação para os dias atuais, um romance YA muito fofo. Ficou bem fiel e gostoso de ler. Jane Austen e sua obra é atemporal ❤️

  5. Já me indicaram muito orgulho e preconceito, mas não sou muito chegada em clássicos. Não sabia que tinham tantas adaptações desse livro, achei que tinha só um filme mas fiquei curiosa acho que vou assistir os filmes e a série

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *